Treino X Alimento: o peso dessa relação.

Treino X Alimento: o peso dessa relação.

A relação entre boa saúde e boa nutrição deve estar bem estabelecida. O interesse pela nutrição e seu impacto no desempenho esportivo é agora uma ciência em si. Se você é um atleta competidor, um esportista de final de semana ou um praticante diário de atividades físicas, a base para melhorar o desempenho é uma dieta nutricionalmente adequada.

Assim como um carro funciona melhor com combustível de boa qualidade, o corpo precisa do tipo certo de alimento para ter um melhor desempenho. Um equilíbrio de carboidratos, proteínas, gorduras, minerais, vitaminas e água dará ao seu corpo o que ele precisa para o desempenho máximo.

A alimentação de um atleta é muito semelhante àquela recomendada para o público em geral. A ingestão de energia deve ser dividida em mais de 55% de carboidratos, cerca de 12 a 15 % de proteína e menos de 30% da gordura.

Entretanto, essa porcentagem pode ser alterada dependendo da intensidade de cada treino. De forma geral a alimentação do atleta inclui uma ampla variedade de alimentos, como pães integrais e cereais, vegetais (principalmente variedades de folhas verdes), frutas, carnes magras e produtos lácteos com baixo teor de gordura. O consumo de líquidos antes, durante e após o exercício é de suma importância para garantir a hidratação. Não espere sentir sede para começar a beber água, porque a sede já é um indício que seu corpo está começando a desidratar.

O que devo comer para melhorar meu desempenho físico?

Planejar as refeições também faz parte da rotina de quem treina. Especialistas sugerem algumas dicas:

Para refeições realizadas antes do treino, evite alimentos ricos em fibras como brócolis, feijões cozidos ou cereais, eles podem causar dores de estômago durante o exercício, devido a digestão ser mais lenta. No entanto, esse tipo de alimento é fonte de nutrição e devem ser utilizados em outros momentos do dia. A recomendação é consumir frutas frescas como melão, manga, pêssego, melancia, legumes não tão fibrosos como tomate e granola de uma a duas horas antes do treino.

Para o período de duas a três horas pré treino a sugestão é ingerir refeições ricas em carboidratos complexos (maçãs, bananas, morangos, arroz integral e aveia). Uma dica para os que procuram acrescentar os carboidratos na alimentação, é o consumo do purê de batata doce. Essa é uma excelente fonte de potássio, cálcio, magnésio e vitaminas A, C e do complexo B, nutrientes que têm atuação não apenas na contração como também na regeneração dos músculos.

Atentos a essa informação, o Natural do Paiva produz algumas das refeições congeladas incluindo o purê de batata doce, tais como strogonoff de frango lacfree, frango ao curry, salmão grelhado e temos também o nhoque de batata doce, super nutritivo.

Para os que se alimentam durante o treino, a sugestão é consumir apenas líquidos para treinos inferiores a 60 minutos, e opções práticas como frutas para treinos com duração superior a uma hora e meia.

Após o treino é importante reabastecer o estoque de glicogênio muscular – usado pelo próprio músculo, como fonte de energia na contração muscular. Um bom estoque e manutenção da reserva de glicogênio muscular retarda a fadiga muscular, evitando lesões. O ideal é combinar a ingestão de carboidratos e proteínas com sanduíche de queijos light e embutidos (peito peru/ blanquet), cereal (granola) com iogurte e frutas e água de coco.

O Natural do Paiva apoia e incentiva toda ação que leve a mudança de hábito, proporcionando saúde e bem-estar aos nossos clientes e a sociedade como um todo. Mas vale ressaltar que apenas esse material não será suficiente para tais resultados. Todo conhecimento adquirido deve ser validado e assistido por profissionais capacitados.

Compartilhe em nossas redes sociais experiências de bom desempenho e também as suas dificuldades, assim poderemos elaborar conteúdos cada vez mais relevantes para ajudá-los.